Arquivo do mês: abril 2011

As trincas da Arquitetura de Informação

“indivíduo que organiza padrões inerentes aos dados, transformando o que é complexo em algo

claro”.

“cria a estrutura ou o mapa de determinada informação, de

modo a possibilitar a outras que criem o seu caminho pessoal, em direção ao conhecimento”.


O termo refere-se à estruturação de um determinado site, ou seja, o desenho de uma interface incluído seu fluxo de navegação e conteúdo visando tornar-lo útil e agradável para o usuário.

Arquitetura de Informação trata-se da junção do planejamento e do mapeamento visual (wireframe) disposto no site pois além de entender o que realmente o cliente deseja o profissional da área consegue propor ainda , melhorias para atender esse cliente.

O intuito do cargo é fornecer subsídios para que o cliente fique satisfeito de forma com que tanto o cliente quanto o fornecedor tenha uma visão clara do projeto desenvolvido.

Quem cunhou o termo foi Richard Saul Wurman em 1976 (arquiteto e designer gráfico)

é considerado um dos pioneiros na utilização da pratica da Arquitetura de Informação.

Wurman acredita que era possível tornar a informação compreensível, publicou vários livros.

O autor define no livro seu publico alvo como sendo: designers, jornalista e arquitetos de informação,

o foco citado em algumas passagens em um de seus livros “Ansiedade de Informação”

é que a informação seja de fato compreendida.

O grupo de arquitetos de informação japoneses Information Architects Japan produziu recentemente mais um “mapa da web”, similares aqueles mapas de metrô. Esta é a quarta versão do Web Trends Map.

Enfim hoje em dia a Arquitetura de Informação é necessário para a estruturação da informação de forma que o usuário não se perca ao navegar em um determinado site , vale lembrar que não é só o profissional em A.I. quem cria sites mas é necessários que  o mesmo seja organizado e distribuído de forma clara.

Trabalho apresentado à disciplina SHF – PUCSP

Referências Bibliográficas

http://iainstitute.org/pt/translations/o_que_e_arquitetura_de_informacao.php

http://revolucao.etc.br/tag/arquitetura-da-informacao/

Anúncios

Usabilidade: Ou seu site tem ou seu site não tem !

“facilitar e agilizar tarefas do dia-a-dia para assegurar que algo funcione bem”

O termo é utilizado para definir a facilidade de uso sejam elas no aprendizado, memorização de tarefas, produtividade quanto na prevenção visando diminuição de erros e claro a forte ação da interface aos olhos dos indivíduos.

*Um dos erros na projeção de sites é imaginar que os usuários lerão todas as opções e escolherão assim a melhor.  (Bruna Milagres Pires Lopes)

A maioria das empresas investem muito pouco em usabilidade esse fato se dá devido ao  processo ser caro e escasso . A elaboração e realização de teste de usabilidade aplicados em um determinado produto é a mesma coisa que expor os problemas em potencial que resulta na minimização da disponibilidade no mercado, não só aplicada em produtos, mas em qualquer projeto seja ele na web ou impresso. Basicamente seria uma maneira de otimizar e validar o perfeito uso do produto para isso existem testes de usabilidade. (vídeo a seguir)

 

Porém a preocupação dos usuários está cada vez crescendo com relação ao termo e o grau de exigência lá em cima.

De modo geral a usabilidade permite ao usuário alcançar seus objetivos, a clareza da disposição da informação é de fato importante gerando assim  facilidades no site como por exemplo:  localização de uma determinada informação, boa navegação evitando que os usuários se percam, faz com que o usuário retorne ao site, participe ou opine, dessa forma, o usuário não fica preocupado em clicar num determinado site e cair em outro.

Assim como alguns padrões levaram algum tempo até que fossem respeitados no cotidiano espera-se que a usabilidade não fique para traz e ganhe seu espaço devido nesse mundo cibernético em que vivemos dando assim  uma perspectiva e propiciando aos novos profissionais  da área ganharem a confiança por parte dos usuários.

Trabalho apresentado à disciplina SHF – PUCSP

Referências Bibliográficas

http://conteudo.imasters.com.br/3206/usabilidade.pdf

http://imasters.com.br/artigo/13660/usabilidade/como_assim_usabilidade/